Umav Ozatroz

rimando, aspirando, transformando

Arquivos da Categoria: Sonetos

Futebol

Acuado pelo brado da torcida
Juiz levanta o vermelho cartão
Logo em partida tão decisiva
Foi-lhe cair corpo estirado ao chão

Atentava aos lances mais à frente
Quando lá atrás começava confusão
Era um empurra-empurra descontente
Que exigia rápida punição

O juiz não viu o que se sucedeu
Tinha a vista turva pela paixão
E no disse-me-disse se perdeu

Viu o que não havia e sem razão
Ao ídolo da multidão temeu
Expulsou-o e foi chamado ladrão

Postado do WordPress para Android

Recital

Aturdido, levanta-se o pianista
Nos escombros avista sua platéia
Cabelos grisalhos de muitos turistas
Corpos mutilados em uma panacéia

O recital corria magnífico
Seus dedos ágeis encantavam os ouvintes
Até o momento do acorde maléfico
Piano explodiu em literal acinte

Lembrou-se então das guerras nos bastidores
Das ameaças mascaradas sem nomes
Num instante entendeu a artimanha fatal

Só não contavam com explosão tão gritante
Resultado de performance gigante
E próprio Liszt ainda vivo e transcendental

Postado do WordPress para Android

Conto de Fadas

Era uma vez uma triste donzela
vítima de uma terrível maldição:
todos que se apaixonavam por ela
logo sumiam, envoltos num clarão.

Temeu por suas vidas e se refugiou:
antes a solidão que matar um amor.
Buscou a mais alta torre e lá ficou,
pranteando para a lua toda sua dor.

Então ouviu correntes e um gemido
de pobre alma que vagava há tempos
por corredores e salões, perdido.

E assim se encontraram: em lamento.
Instantâneo foi o clarão do cupido,
de fantasma cavaleiro fazendo.

 

Postado do WordPress para Android

Elegia a Dennis Ritchie

Da Informática o latim
Perdeu hoje o seu pai
Pranteando no jardim
Compilador C se vai

Vai triste compilando
Transformando código
Funções se desdobrando
Em baixo nível lógico

Infraestrutura em C
Roda o mundo que se vê
Transformada em práxis

Goste ou não da linguagem
Tem lá suas vantagens
Vida longa nos Unix

 

Dennis Ritchie foi criador da linguagem de programação C e um dos co-criadores do sistema Unix.  Originalmente criada para portar de forma mais fácil o nascente sistema para arquiteturas de máquinas diferentes, sua praticidade e performance a tornaram rapidamente um sucesso em sistemas de infraestrutura.  Unix, Windows, iOS, Android e vários outros foram originalmente escritos em C e várias linguagens partilham de sua sintaxe e idéias.

daqui

Luneta

Alumiar da Lua Cheia
Plácida no céu pálido
Tom menor melancólico
Prateando quem pranteia

Suspirante inspiração
Dos rubores roubados
Por beijos desejados
Para curar coração

Lunetas pelo planeta
Apontam ao despontar
De tua alva faceta

Por temer a dor de amar
Lunático lamenta
Com tumular uivo lunar

Postado do WordPress para Android

Cavalgada

Cavalos galopavam pelas pradarias
Couro reluzindo os músculos de aço
Sob os fortes cascos o solo tremia
Vale partido pelos ferozes passos

Numa encruzilhada o bando se dividiu
Alguns subiram as encostas das montanhas
Outros arriscaram o vale que as partiu
Por cima ou por baixo valente façanha

Aqueles campos não mais viram tamanha ação
A cavalgada moldou cursos de rios
Rochas partiram pelo solo em depressão

Dos sulcos cravados pelos cascos no solo
Brotaram flores com estranhos desígnios
Fragrância no vento a relinchar consolo

Postado do WordPress para Android

Lufada

Sinto a inspiração chegando
Como lufada de vento
Trespassante sentimento
Coração arrebatando

Versos pelo ar a bailar
Carregando teu desejo
Sobrevoam lugarejos
Um coração a procurar

Perdida em um deserto
Árido e seco em ardor
Julga o errado ou certo:

Falecer só de tanta dor
Ou cavar buraco perto?
Mas versos chovem teu amor

Postado do WordPress para Android

Picadeiro

A expectativa é grande
A platéia está muda
No palco os figurantes
Saem de cena às surdas

É visto de relance
Nariz bola vermelha
Cabeleira ondulante
Roupa larga de ovelha

Presença de elefante
Ladrão de gargalhadas
Brilham qual diamantes

Mas não neste instante
Quando é desmascarada
Paixão por sua amante

Postado do WordPress para Android

Picnic

À beira da lagoa me sento
O dia ensolarado é propício
Os cabelos esvoaçam ao vento
Meus pensamentos voltam ao início

Vejo-te em saia enluarada
Presa em teu claustro na lonjura
Pelas estrelas emoldurada
Cantando tuas dores para a lua

Cá estou hoje a preparar um picnic
Trouxe bolos, delícias e frutas
A belle paisagem magnifique

Minha morena trará as trufas
Brindaremos com um vinho bem chic
Nosso amor saboroso de uvas

Postado do WordPress para Android

Emudecido

Quis pintar o mais belo quadro
Compor a mais linda música
Mas sempre me sinto acuado
Por tal presença tão única

Como o Everest para um morro
É esta a paixão das paixões
Muito além de qualquer adorno
Amor emudece corações

Meus traços não lhe fazem jus
Minha voz rouca é pouca
Todas tentativas vãs sem luz

Tento por último um poema
Não retrato nem paixão louca
Só o sorriso da morena

Postado do WordPress para Android