Umav Ozatroz

rimando, aspirando, transformando

Coloniais Penais

7 coloniais

Fiquei com pena
Com minha pena voei
Caiu poema

Fiquei com pena
Peguei e longe soprei
Nuvens serenas

Não tinha pena
Arrancou uma-a-uma
Sonha que plana

É uma pena
Colorida florida
Não me acena

Asa sem pena
Delícia morena
Ave condena

Pena flutua
Espada infundada
Jaz fria nua

(de “Poeta Samurai”)

Penas e plumas
Rebuliço inflama
Morena em viço

Anjo poeta
Da pena poema cai
Asas abertas

(inspirado em poema recente “Anjo Poeta”, esqueci a referência)

Postado do WordPress para Android

Anúncios

Recite também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: